Artigos
 

Os Profissionais mais expressivos e as Casas de Pinho

O modo de construir característico original das casas jordanenses, passado o período do tropeirismo, foi, evidentemente o das casas de madeira.

Por ser um material de comportamento térmico compatível com o clima das serras altas, e ser encontrado com relativa facilidade (Araucária) começaram a ser construídas as casas de madeira num sistema construtivo similar àquele praticado no sul do Brasil, notadamente no Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná.

Eram casas suportadas por pilaretes de alvenaria (pedras ou tijolos) suspensas do solo para evitar a umidade, criando os chamados “porões”. (Os porões são originários dos países frios que construíam suas moradias com porões altos, onde reuniam o gado à noite para aproveitarem também seu calor)

São casas com assoalho e paredes de madeira (taboas de 20 a 30 cm de largura com “mata-juntas” de ripas como arremate. Os forros eram normalmente também de pinho, porém do tipo “paulistinha”.

Os telhados em zinco ou cerâmica existindo exemplares notáveis dessas casas até os nossos dias.  Podemos apreciar algumas dessas moradias na Vila Ferraz, na Vila São Francisco e na Vila Bazin, por exemplo.

O interessante, dizem os antigos, é que a madeira utilizada não sofreu a ação dos carunchos, pois  foi extraída “na lua certa” e depois era “entaleirada” durante muito tempo ao sol e chuva, para a secagem.

Enviado por José Roberto Damas Cintra


voltar
Desenvolvido por AR Criações - Criação de Sites e Sistemas
HOME | A EMPRESA | SERVIÇOS | NOSSOS PROJETOS | CONTATO

Damas Cintra - Arquitetura e Construção
Todos os direitos reservados